LIÇÕES MÁGICAS: #2 Siga sua paixão com GARRA
5 de fevereiro de 2016
0

“Lições Mágicas” é uma série de posts baseada nos podcasts do livro “Big Magic – Creative Living Beyond Fear” ou “Grande Magia – Vida Criativa Sem Medo” da autora Elizabeth Gilbert.

Como o próprio título já diz, o livro é sobre criatividade e todos os aspectos que estão envolvidos no exercício da mesma, principalmente o medo e a procrastinação.

As tais *Lições Mágicas* são como mapas para o caminho da criatividade. Aquele empurrãozinho extra que a gente precisa quando se sente empacado nas nossas vidas criativas.

Na semana passada, escrevi sobre o primeiro podcast da série, produzida por Elizabeth Gilbert, autora do livro. Nele, ela conversou com uma blogueira de sucesso que é mãe e agora gostaria de escrever seu primeiro livro.

Ela se dedicou muito aos primeiros anos dos filhos e pensou que com eles mais crescidos, seria mais fácil para começar a trabalhar no livro. Porém, o tempo continua passando e ela procrastinando, talvez por medo, medo de que esteja traindo a sua família, caso decida focar em seu projeto criativo.

 

Ser Mãe

Como ser mãe é um grande papel na vida das mulheres que o são, acredito que seja importante discutirmos sobre o assunto para ir, aos poucos, desmistificando alguns pontos delicados, construídos ao longo de anos de pressão da sociedade sobre as mulheres.

Convenhamos que a maioria quando mães, deixa de lado sua própria vida em prol do bêbê que acabou de nascer. A mulher deixa de ser a Maria e passa a ser “a mãe do fulano”. É natural, é instintivo, é protetor e necessário, claro.

Algumas sentem-se bem com essa anulação não só pelo prazer de passar o máximo de tempo com seus filhos, mas também para mostrar que são mães exemplares.

Acontece que com o passar do tempo e a independência que seu filho ganha com a idade, tal comportamento pode gerar problemas sérios no desenvolvimento da criança, além de outros envolvendo a autoestima da mãe e o bem estar da família.

Veja bem, a criação dos filhos não vem ao caso aqui e sim a iniciação/continuação da sua vida criativa, apesar de ser mãe. Então, vamos começar a falar sobre como seguir suas paixões e não perder sua identidade após o nascimento de um bêbê.

 

Mães não precisam ser exemplos para ninguém

Eu não preciso ser mãe para saber que é difícil pra ca#$%&.

E em tempos de Pinterest, mães de primeira viagem devem rodar loucamente a internet em busca de informações sobre como dar o melhor banho, a melhor alimentação, educação, etc.

Esquece. Você nunca será perfeita. 

Entenda que o conceito de mãe exemplar não existe. Mães não precisam ser perfeitas, não precisam ser as melhores, apenas fazer melhor que você consegue, sem se preocupar com comparações.

Lembre-se que além de mãe, você tem uma profissão/hobby/projeto criativo esperando por você.

 

Livre-se dos julgamentos

Cheryl Strayed, autora do livro “Livre”, que inspirou o ótimo filme homônimo e que rendeu até uma indicação ao Oscar, conversou com a Liz sobre deixar os filhos pequenos por um tempo para se dedicar a si mesma.

“Eu percebi que não conseguia trabalhar rodeada de um monte de gente, então, deixei os meus filhos pequenos em casa e viajei por três semanas para conseguir finalizar o meu livro. Muitas pessoas podem julgar, mas essa decisão foi extremamente importante para mim. Quando a saudade apertava, eu pensava em desistir e voltar, mas desde o primeiro dia soube que estava ali para cumprir um objetivo e assim foi. Quando voltei para casa, tive medo de que tivesse perdido muitas coisas do dia a dia deles e que meus filhos me odiassem, mas eles estavam ótimos e nem parecia que eu tinha me ausentado.” 

Viu só? Nada de ruim aconteceu, só de bom: ela silenciou a barulheira em sua volta e conseguiu o foco necessário para se dedicar a uma paixão que, no caso dela, também era sua profissão.

 

Força e Coragem!

É sempre assustador quando começamos algo novo porque achamos que não somos capazes, mas uma coisa que aprendi com esse episódio é que:

Temos que ser fortes mesmo que tudo à nossa volta favoreça para o contrário. 

Mesmo que ser mãe ocupe uma grande parte do seu dia, agarre-se ao seu eu interior (sim, ele ainda existe por baixo de um monte de fraldas e papinhas. :D) e à sua vontade, bata o pé e faça o que tem que ser feito.

Seja uma mãe que corre atrás dos seus objetivos como uma motherfucker.

 

Vamos colocar em prática?

Para colocar tudo nos eixos e pegar muitas dicas de organização, recomendo fortemente o blog da minha xará, o Vida Organizada.

Thais Godinho é mãe e consegue conciliar lindamente sua casa, família e trabalho. <3

 

Leia os outros posts da série:
INTRODUÇÃO – Como viver uma vida criativa e vencer a procrastinação
LIÇÃO 1 – <a href="http://www.ohthais sildenafil tablets 100mg.com/vida/faca-o-que-acende-sua-alma/” target=”_blank”>Faça o que acende a sua alma
LIÇÃO 2 – Siga sua paixão com garra (especial para mães)

Para ouvir mais sobre o assunto, baixe os podcasts AQUI. (em inglês)

Se você já é mãe, quer me contar sobre como você lida com a maternidade e os seus interesses pessoais?
A caixinha de comentários é toda sua. ????

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.